Eduardo Tropia - Fotografia Fine Art

A sala escura sempre esteve presente na vida de Eduardo Tropia, reconhecido fotógrafo mineiro com 45 anos dedicados à arte de escrever com a luz. Filho do fotógrafo Milton Tropia, Eduardo cresceu vendo de perto o trabalho do pai, conhecido retratista em Pedro Leopoldo e Ouro Preto.

ver mais

Currículo atualizado - Eduardo Tropia

Eduardo Tropia

A sala escura sempre esteve presente na vida de Eduardo Tropia, reconhecido fotógrafo mineiro com 45 anos dedicados à arte de escrever com a luz. Filho do fotógrafo Milton Tropia, Eduardo cresceu vendo de perto o trabalho do pai, conhecido retratista em Pedro Leopoldo e Ouro Preto. O segundo professor no mundo da fotografia foi Dimas Guedes, que se dedica ao registrar da vida cotidiana de Ouro Preto. Outras influências foram Walter Firmo, Alair Gomes, Emídio Luigi, Miguel Aun, Heber Bezerra e Alan Rodrigues. Eduardo Tropia também faz questão de reverenciar Cartier Bresson, um dos principais nomes da fotografia mundial. “Com ele, aprendi tanto sobre o encantamento quanto sobre a despretensão da imagem”, explica. A essência do trabalho de Cartier Bresson se reflete na obra de Eduardo Tropia que gosta de frisar que o olhar é mais importante que o equipamento, por isso seu trabalho caminha naturalmente do comercial para o autoral.

Eduardo Tropia tem no currículo trabalhos em destinos turísticos, fotografias industriais, editoriais (Jornal O Tempo como fotógrafo e editor de fotografia, Revista IstoÉ), artes plásticas e artes cênicas. Lecionou fotografia na Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP), ofereceu oficina de fotografia para o Fotógrafos em Ouro Preto por cinco anos seguidos e, em 2016, para o IFMG no Encontro Nacional de Tecnologia em Conservação e Restauro. Ministra oficinas e workshops de fotografia periodicamente em Ouro Preto, cidade onde vive.

Produziu diversas exposições, entre elas: Memória dos Festivais de Inverno Ouro Preto e Mariana; Ouro Preto Jazz Tudo é Jazz; Ruas de Minha Vida, que também foi exposta na cidade de Lagos, em Portugal durante o Cineport 2006. Em Belo Horizonte e São Paulo, assinou a exposição “E nós que nem sabemos”. Apresentou trabalhos na Casa Cor Minas em 2012 e 2013. Integrou a exposição Minas Território das Artes, no Palácio das Artes em maio de 2014. Integra o coletivo Olho de Vidro há 10 anos, onde encontra o caminho para suas produções autorais finalizadas em fine art. Com a Série Murus participou de oito exposições em galerias de arte de MG e SP entre 2015 e 2016. Participa com mais 20 fotógrafos mineiros do documentário “Profissão Fotógrafo”, produzido pela Estação Mídia filmes e estreado em agosto de 2016 em Belo Horizonte. Em novembro desse ano, Eduardo Tropia tem sua obra Barroco x Chinesice - da série “Barroco Liberto” - selecionada para a "6th Jinan International Photography", bienal de fotografia na China, compondo exposição coletiva com fotógrafos do mundo inteiro.

Atualmente expõe obras da série Barroco Liberto no Museu de Sant’ana, Tiradentes/MG, em cartaz até dia 31 de janeiro de 2017.

Tropia mantém sua galeria fine art permanente em Ouro Preto, na casa onde viveu o poeta Alphonsus de Guimarães, dividindo espaço com trabalhos artesanais produzidos pela família, como o Licor Caseiro de Jabuticaba, receita dos avós que é repetida hoje por duas irmãs.

Serviço:

Rua São José 165 - Ouro Preto - MG

e mail cursoeduardotropia@gmail.com

tel 031 999167283

 


Lista de Álbuns