Eduardo Tropia - Fotografia Fine Art

A sala escura sempre esteve presente na vida de Eduardo Tropia, reconhecido fotógrafo mineiro com 45 anos dedicados à arte de escrever com a luz. Filho do fotógrafo Milton Tropia, Eduardo cresceu vendo de perto o trabalho do pai, conhecido retratista em Pedro Leopoldo e Ouro Preto.

ver mais

Os 45 anos de fotografias de Eduardo Tropia em exposição

Filho de um tradicional fotógrafo de Ouro Preto, Eduardo Tropia é um jovem fotógrafo com 45 anos de experiência. Iniciou-se no mundo da escrita com a luz no quarto escuro do pai, Milton Tropia, e aperfeiçoou ao estudar com Dimas Guedes, geólogo formado pela Escola de Minas da Ufop e que se dedica a registrar a vida cotidiana de Ouro Preto. Outras influências foram Walter Firmo, Alair Gomes, Emídio Luigi, Miguel Aum, Heber Bezerra e Alan Rodrigues. Cedo, já era profissional, trabalhando com fotografia de produtos, projetos culturais e turísticos e fotojornalismo. Foi fotógrafo do caderno Magazine e editor do jornal mineiro O Tempo, que revolucionou os cadernos de cultura de Minas Gerais. 
A exposição Retrospectiva reúne seus principais trabalhos, com destaque para os últimos dez anos, em que Eduardo Tropia desenvolveu a fotografia autoral, fortemente vinculada ao barroco, a Ouro Preto e a cidades históricas. Podem ser vistos momentos expressivos da carreira do fotógrafo, como as séries Barroco Liberto, Vidra e Murus, oriundas do Coletivo Olho de Vidro, do qual é integrante. Os Memonóculos, último trabalho para o Olho de Vidro, é a parte interativa da exposição, com muitos cromos em monóculos, resgatando memórias de trabalhos realizados e avivando as lembranças do público. Trinta de suas capas do caderno Magazine também estão expostas, assim como sua obra selecionada para a Bienal de Fotografia da China, que traz a influência da arte chinesa para o barroco mineiro, retratando a Igreja de Santa Efigênia, de Ouro Preto. 
Eduardo Tropia faz questão de se reverenciar a Cartier Bresson, um dos principais nomes da fotografia mundial. “Com ele, aprendi tanto sobre o encantamento quanto sobre a despretensão da imagem”, explica. A essência do trabalho de Cartier Bresson se reflete na obra de Eduardo Tropia. O fotógrafo gosta de frisar que o olhar é mais importante que o equipamento. É por isso que seu trabalho caminha, naturalmente, do comercial para o autoral.

Serviço
Exposição Retrospectiva – 45 anos de fotografia, de Eduardo Tropia
• Visitação: de 18 de novembro a 10 de dezembro, de segunda-feira, das 14h às 18h; de terça a sábado, das 10h às 17h; domingos e feriados, das 10h às 15h
Na Casa dos Contos (rua São José, 12 – Centro • Ouro Preto/MG)
Entrada franca
 


Lista de Álbuns